P A T H

P A T H | Dica Alteryx – 5 Dicas para configurar o seu Workflow

O que você vai aprender?

Se você usa o Alteryx há algum tempo, já deve estar familiarizado com o comportamento do seu workflow, como o a organização natural das ferramentas no canvas, o progresso da execução, entre outras coisas. Mas o workflow possui algumas configurações adicionais que muitas pessoas não conhecem, e que podem facilitar o seu trabalho no dia a dia.

Nessa dica, vamos mostrar 5 configurações que podem ser aplicadas no seu workflow para aumentar a sua produtividade e tornar o seu processo mais robusto e profissional.

INTRODUÇÃO

Um workflow Alteryx possui uma série de configurações que podem auxiliar investigações, dar mais robustez ao seu processo e deixar o seu fluxo de trabalho mais documentado. Para acessar o menu de configurações, simplesmente clique em uma área em branco no seu fluxo, e o menu será exibido na janela à esquerda.

São cinco abas, e daremos uma dica para cada uma delas.

Passo 1: Canvas – Eram quantas linhas mesmo?  

Durante a execução do fluxo, o Alteryx mostra o percentual de conclusão da ferramenta e a quantidade de linhas que seguiram para o próximo passo. Mas essa informação sai da tela ao final do processamento.

Acompanhar a quantidade de linhas dentro do fluxo é uma boa maneira de analisar se o seu processo está correto. Para manter estas informações visíveis depois do processamento, clique em Canvas, e na configuração Connection Progress, escolha a opção Show.

Passo 2: Workflow – Eu queria tanto uma constante…   

E quem disse que o Alteryx não permite a criação de constantes? Claro, você pode usar a ferramenta Text Input e gerar campos com as informações que você precisa, mas caso você precise desta informação em vários lugares, teria que conectá-la em cada ocasião, e seu fluxo rapidamente se tornaria uma teia de aranha…

Clique na aba Workflow. Você verá uma lista de constantes de sistema, mas você pode criar as suas próprias. Basta clicar no botão de “+” e definir um nome e um valor. Caso o valor seja numérico, marque a caixa de texto ao lado.

A variável estará disponível nas ferramentas como qualquer outro campo. Não esqueça: como o próprio nome diz, variáveis constantes não podem ter seu valor modificado pelo fluxo de execução.

Passo 3: Não, não quero gerar nenhum arquivo, só preciso ver como ficou…

Você precisa investigar o comportamento do seu workflow, e para isso precisa executar, mas ele gera várias saídas, atualizando bases de dados, gravando novos arquivos. Isso só vai causar mais problemas.

Você pode apagar as conexões que ligam o fluxo a cada uma das saídas, mas existe uma maneira bem mais prática. Clique na aba Runtime, e marque a opção Disable All Tools that Write Output.

Perceba a mudança no ícone de saída do seu fluxo. Esta aba possui várias outras opções interessantes, certamente você já precisou de alguma delas.

Passo 4: Events – Rodou, e agora?

Se você precisa executar algum comando após a execução do fluxo, pode configurar seu workflow para rodar um evento. Um script é um excelente exemplo.

O evento pode ser configurado para ser disparado antes ou depois da execução do fluxo, com a opção de executar somente se o fluxo terminar OK ou com erro.

Clique na aba Events, habilite a opção Enable Events, e clique em Add para adicionar o evento. Para fins de exemplo, o programa de calculadora do Windows será executado ao término do processo.

Passo 5: Meta Info – Documentando seu Workflow

Por último, mas não menos importante, temos mais uma fonte de documentação do workflow, que pode vir a ser muito útil para a manutenção, principalmente se for realizada por outra pessoa que não o desenvolvedor.

Clique na aba Workflow, e preencha os campos disponíveis de acordo com a necessidade. Eles são autoexplicativos.

Mais dicas de documentação podem ser encontradas aqui e aqui.

05 Novembro de 2020

Pronto, você aprendeu configurar o seu workflow para aumentar sua produtividade e dar mais robustez ao seu fluxo!

Language